Colega

começam a surgir notícias sobre a greve de 8 dias nas universidades do Reino Unido.

A greve decretada pelo University and College Union (UCU) abrange as universidades em todo o Reino Unido e tem como motivo principal a degradação dos vencimentos e a alteração ao fundo de pensões.

Foram constituídos piquetes de greve em 60 universidades, num movimento que envolve mais de 40.000 docentes, investigadores e membros do pessoal técnico académico.

É interessante ler o editorial do jornal “The Guardian”, que classifica esta ação como uma batalha pela alma do campus, afirmando que: “Neste admirável mundo novo, os quase esquecidos caídos foram os académicos cujo trabalho é entregar “o produto””.

Este movimento já tinha saído à rua no ano passado devido às alterações no esquema de pensões.

O problema do precariado, bem como a degradação das condições para todo o pessoal académico tem vindo a ganhar cada vez mais relevo.

Apesar da pressão de algumas reitorias, procurando criar obstáculos à greve, várias associações de estudantes solidarizaram-se com este movimento e os alunos têm participado ativamente nas manifestações.

O SNESup apresenta a sua solidariedade com todos os colegas que trabalham nas universidades do Reino Unido e com este movimento.

Toda esta ação envolve organização e preparação, em que o esforço de cada um conta. Constituir piquetes em várias instituições é algo que já fizemos e num passado não muito distante.

Mas antes de tudo coloca-se uma questão de consciência. Perante cada vez mais contratos a termo, a degradação dos vencimentos e a injustiça do sistema de progressões, o que é que estamos dispostos a fazer para resgatar a dignidade e a valorização da nossa profissão?

 

Saudações Académicas e Sindicais
A Direção do SNESup

26 de novembro de 2019

Share This