PEC - MAN

O número 39 da Ensino Superior - Revista do SNESup confere uma importância particular aos cortes nos vencimentos.

O que, há um ano atrás, parecia do domínio da realidade virtual tornou-se hoje uma agrura quotidianamente palpável e aguda, constituindo-se como ameaça passível de evolução carunchosa. De PEC em PEC, passando pelos cortes nos vencimentos, vivemos num labirinto que, aparentemente, não tem saída. Qual PACMAN, o homem dos PEC's desespera, desenfreado e alucinado, devorando tudo o que pode, num enredo cada vez mais povoado por "fantasmas" e por "monstros" que não lhe dão descanso, nem lhe permitem encontrar uma saída. De fora, uma seita de PECários (agentes do PEC - do ministro das finanças, aos líderes europeus, passando pelos fazedores de opinião que inundam televisões e jornais), inebriada no jogo da escalada, incita ao caminho "óbvio": soluções drásticas; cortar a direito.

De um momento para o outro, "para sempre", como disse Teixeira dos Santos, se regride 10 anos. E passamos aos níveis salariais de 2001. Odisseia no tempo. O espaço é o de um país às voltas sobre si próprio, a andar para trás, a olhar para lado nenhum.

Qual a agenda escondida dos cortes salariais? Que alternativas ficaram por ser equacionadas e concretizadas? Que limites encontram os cortes na Constituição da [centenária] República? Quais as dúvidas mais comuns que se levantam neste processo e que respostas podem ser dadas? O que nos resta de cultura democrática da nossa sociedade e das nossas instituições de ensino superior? A vertigem da busca de soluções pouco refletidas e pouco partilhadas como aquela que António Cândido de Oliveira referencia para a sua Universidade do Minho,  a caminho da solução fundacional?

Que confiança redentora podemos depositar na Ciência e na Investigação científica? A de Mariano Gago, na sessão de apresentação à AR da proposta de Lei do OE, ou a de José Ferreira Gomes, na interpelação deixada ao Ministro nessa mesma ocasião?

Estas questões, que são abordadas neste número da Ensino Superior - Revista do SNESup, não são apenas circunstanciais. São vitais. Para Portugal. Para a democracia. Para as instituições de ensino superior e de investigação científica.


Paulo Peixoto
paulo.peixoto@snesup.pt

© copyright SNESup | Todos os direitos reservados

 
visitas