Electri-cidade

Autor: Vítor Oliveira Jorge
Editora: Edições Colibri, 2009

Electri-cidade, é um livro de poemas que, na sua diversidade interna, é unitária, e dá continuidade ao livro Casa das Máquinas, (Papiro Editora, 2008), concebido e organizado nos mesmos moldes deste. O conjunto de textos que compõem o livro foi redigido na cidade do Porto entre Março de 2008 e Fevereiro de 2009. As primeiras versões dos mesmos estão disponíveis no blogue do autor http://trans-ferir.blogspot.com/, onde podem igualmente ser consultadas reacções ao livro e ouvidas leituras pelo voz de Vítor Oliveira Jorge.

Os poemas, ordenados pela ordem alfabética dos títulos, constituem, nas palavras de Adélio Melo, um exercício de voluptuosidade: "Uma questão em tudo isto, depois de usufruir o que se lê, é com efeito esta: o que é que me ficou de?; o que tenho agora em mim de? E eis então que de novo reitero: uma imagem irrequieta de voluptuosidade, de sensulidade e de qualquer coisa sempre em falta (em coisas e em palavras, em espírito e em letra). Um hino multiforme a essa imagem. E ora mais apolíneo, ora mais dionisíaco". É, de facto, esta dualidade que gera a arte e a vida, tal como Nietzsche o colocou em A Origem da Tragédia, que atravessa esta obra de Vítor Oliveira Jorge, onde as forças apolíneas e as disonisíacas não são simples oposições. Porque "as manhãs às vezes começam ao contrário, como se fossem noites atrasadas".

Vítor Oliveira Jorge é licenciado em História pela FLUL em 1972, docente da Universidade do Porto, desde 1974, onde é Professor catedrático desde 1990. Autor de uma vasta obra, é arqueólogo, poeta e ensaísta.

© copyright SNESup | Todos os direitos reservados

 
visitas