RCAAP - Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal

http://www.rcaap.pt/

 

O Acesso Aberto é uma condição fundamental para a difusão democrática do conhecimento e para o desenvolvimento das atividades de ensino e de pesquisa. Um repositório de repositórios, como é o caso do RCAAP, reveste-se de um valor significativo para quem atua nestes domínios. Consolidar ferramentas como o RCAAP é essencial para que as instituições que apostam em ter repositórios de acesso aberto confiem na estabilidade destes dispositivos e possam fomentar sinergias no domínio da disponibilização fácil e gratuita de recursos pedagógicos e científicos.

O texto de justificação da criação do RCAAP (em julho de 2008), que transcrevemos de seguida, é hoje mais pertinente que nunca.

“O acesso à informação e ao conhecimento é essencial para o progresso do ensino e da investigação mas também para o desenvolvimento sustentável da sociedade. Por isso, as condições de acesso à informação científica necessitam de ser significativamente melhoradas. A tendência generalizada para a publicação digital dos resultados da investigação, observada nas últimas décadas, representa uma mudança fundamental em relação à era da “idade do papel” e possibilita grandes mudanças na sua divulgação.

Tem sido amplamente reconhecido que o sistema de assinatura de revistas científicas, que predominou nas últimas décadas, cria limites à divulgação dos resultados da investigação e levanta, no que diz respeito à investigação financiada por fundos públicos, questões relativas à boa utilização e impacto desse financiamento. A dificuldade de acesso imposta pelo preço das assinaturas tem sido agravada pelo facto de o aumento do custo anual das subscrições ser, desde meados da década de 90, várias vezes superior à taxa de inflação. A situação é obviamente mais grave nos países mais pobres onde muitas instituições não podem suportar o custo de assinatura das revistas, inviabilizando assim o acesso da sua comunidade aos resultados da investigação. Embora algumas editoras estejam a tomar medidas especiais para esses casos, isso não resolve a questão central que radica no conceito de que os resultados da investigação financiada por fundos públicos devem estar livremente disponíveis ao público.

O Acesso Aberto procura responder a estes problemas tornando acessíveis os resultados da investigação de forma gratuita e online, através de repositórios institucionais, revistas de acesso aberto e sítios web. Este processo apresenta vantagens significativas para os autores individuais, para os investigadores, para as instituições e para o processo de investigação em geral e responde à preocupação de muitas agências financiadoras que têm reconhecido que o trabalho de investigação fica incompleto se os seus resultados não alcançarem uma maior audiência - incluindo as pequenas empresas, jornalistas de ciência, profissionais e público em geral. Na Europa, este movimento conduziu ao projeto-piloto de Acesso Aberto da Comissão Europeia e às orientações do Conselho Europeu de Investigação.

Em Portugal, tal como na generalidade dos países, as primeiras iniciativas de acesso aberto ocorreram em 2003, mas apenas a partir de 2006 o tema ganhou uma atenção generalizada.”

 

© copyright SNESup | Todos os direitos reservados

 
visitas