Manifesto do CRISES

CRISES significa - Colectivo para a Reflexão e Intervenção Sobre o Ensino Superior.

É um Colectivo de pessoas que se cruzaram e conheceram nos seus percursos de vida, todos ligados ao ensino superior e que têm em comum um conhecimento alargado do sistema. São trajectos diversificados que trazem para o colectivo as respectivas experiências e os pontos de vista que foram desenvolvendo, resultando daí que hoje tenham uma visão global do ensino superior, aliada a um conhecimento que desenvolveram pela intervenção também em outras áreas (a educação em geral, a juventude, a investigação ou a cooperação) e em outros espaços (como a Europa ou os países lusófonos).

Colectivo que, tendo em comum preocupações sobre o ensino superior, promove a Reflexão. Para além de reflectir internamente, proporá essa reflexão à sociedade em geral e aos actores do sistema em particular, manifestando opiniões e promovendo o debate público sobre os problemas e as questões que considera pertinentes.

Pessoas que têm experiência de intervenção cívica, a vários níveis e em contextos variados, e para quem intervir é um imperativo de cidadania.

O Ensino Superior vive hoje crises várias. O rápido crescimento do sistema nos últimos anos põe em causa tanto a sua organização, como o governo e a gestão das instituições. O financiamento e o apoio aos estudantes têm de ser pensados para um período que não será já de expansão, mas que se pretende de consolidação do sistema e de reforço da qualidade. A redução da procura tradicional provoca problemas, mas é uma oportunidade para definir novas estratégias de diversificação das ofertas formativas e dos públicos a que se dirigem, de reforço da investigação, de intervenção social e de melhoria da qualidade e do sucesso escolar. A intervenção no espaço europeu, designadamente através do Processo de Bolonha, e no espaço lusófono, colocam também desafios a que o sistema tem de responder.

São estes os problemas que nos interpelam enquanto cidadãos, tanto mais que temos plena consciência de que o ensino superior será chamado a desempenhar um papel crucial em qualquer estratégia consistente de desenvolvimento do País, alicerçada, necessariamente, no reforço das qualificações dos Portugueses.

Defendemos um ensino superior de qualidade e socialmente interveniente. Pugnamos por um ensino aberto ao maior número de Portugueses, jovens e menos jovens, que se preocupa em oferecer formações pessoal e profissionalmente relevantes e condições de frequência adequadas aos diversos públicos. Pretendemos um ensino superior em que a produção de conhecimento atinja padrões de qualidade internacionais e em que a sua aplicação ou divulgação tenha em conta as necessidades do desenvolvimento do País. Desejamos um ensino superior que seja capaz de trabalhar com os outros actores do desenvolvimento nacional e de intervir nos grandes debates da sociedade portuguesa.

Defendemos, por isso, a consolidação da capacidade do sistema de ensino superior, a valorização de todas as suas missões e o reequacionamento das condições de governação e funcionamento em função dessas missões.

É neste enquadramento que o CRISES se propõe reflectir sobre as questões que se hoje colocam ao ensino superior. É na construção de soluções e de estratégias que se propõe intervir.

 

Emílio Mateus, Hélder Pereira, Jorge Pedreira, José Luís Sequeira, Maria Luís Pinto, Paulo Afonso, Pedro Lourtie, Susana Limão

crises.mail@sapo.pt

© copyright SNESup | Todos os direitos reservados

 
visitas