8 M: Ação pela Igualdade de Género no ES&C

02/18/2019

Cara/o colega,

No ensino superior e ciência, tal com em muitos outros sectores, as assimetrias na participação de mulheres e homens são muito significativas, tanto entre estudantes como entre docentes e investigadores.

No que respeita aos estudantes assistiu-se, nas últimas décadas, a uma inversão assinalável das tendências de participação. Se em meados do século XX os primeiros estudos de caracterização de estudantes portugueses revelavam que as mulheres inscritas nas universidades (não existiam então politécnicos) eram em número muito reduzido, os dados da DGEEC (Direção Geral das Estatísticas de Educação e Ciência) têm evidenciado que, no século XXI, as mulheres correspondem a mais de metade quer do todo de estudantes quer de diplomadas/os do ensino superior.  Aliás, dados de comparação entre países publicados pela OCDE revelam que a feminização de estudantes e diplomadas/os de ensino superior é particularmente expressiva em Portugal e especialmente notória entre as/os doutoradas/dos que obtêm o grau no nosso país (caso em que a percentagem de mulheres é de 54% em Portugal e de 47% em média na OCDE, segundo dados publicados em 2016).

Não obstante, as/os docentes e investigadores a trabalhar em instituições de ensino superior e ciência são maioritariamente homens, sendo as assimetrias ainda mais evidentes quando consideramos as categorias mais elevadas das carreiras de docente do ensino superior. É que entre os professores catedráticos apenas 22,9% são mulheres enquanto entre os professores coordenadores existem 46,6% de mulheres, de acordo os dados da DGEEC (Direção Geral das Estatísticas de Educação e Ciência) referentes ao ano de 2017/18. Acresce ainda que, em Portugal, apenas três universidades são dirigidas por uma reitora e apenas um instituto politécnico tem uma mulher como presidente.

Reconhecendo a relevância destas assimetrias e a importância de as ultrapassar, a Direção do SNESup decidiu emitir um pré-aviso de greve para o dia 8 de Março, data na qual se assinala o Dia Internacional da Mulher, convergindo com uma iniciativa que abrange dezenas de países: a greve feminista que é promovida em Portugal pela Rede 8M. Tal permite que nesse dia todos os colegas, mulheres e homens, possam fazer greve e participar nas iniciativas que vão decorrer em nove cidades portuguesas.

Saudações Académicas e Sindicais
A Direção do SNESup

18 de fevereiro de 2019

Share This