FCT – Ministro nega alteração de prazos

04/29/2020

Colega,

na audição parlamentar de ontem, o ministro Manuel Heitor anunciou que a FCT não irá prorrogar os prazos de candidatura aos projetos de IC&DT, não obstante os números atingidos pela Petição.
Não deixa de ser paradoxal a razão invocada pelo ministro, quando afirmou que existiam 7.000 candidaturas na plataforma, das quais apenas mil já lacradas e submetidas.
Ora, o que tal exige é um reforço na capacidade de resposta da FCT, perante um sistema de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior precário, sem um financiamento estrutural capaz, perante um depauperado financiamento público.
Estas patologias serão acentuadas com a crise económica que já se advinha e que expõe todos os problemas de precariedade do próprio investimento privado.
Ora, antevendo-se esta situação, torna-se mais claro que nunca a necessidade de existir um reforço do financiamento público da Ciência e não apenas uma reorientação de fundos para um programa paralelo relativo ao COVID-19, orientada a algumas UI&D e LA’s.

O aumento de candidaturas e a pressão para o adiamento de prazos demonstra um sistema que está a desenvolver um esforço ímpar, mas cujo ministério não parece capaz de corresponder com o reforço efetivo das condições de trabalho ( quadros de pessoal necessários), nem com o reforço de financiamento público que se exige.

Este é um momento único para a afirmação da Ciência em Portugal, em que os portugueses puderam ver na prática a aplicação de questões que lhes pareciam estranhas, como uma função sigmoide, ou testes RT-PCR.

E é como comunidade que devemos agir e assinalar esta necessidade de reforço do financiamento, bem como de uma maior celeridade na análise de candidaturas da parte da FCT.
Perante vários contratos que estão a terminar neste momento é urgente que surjam os resultados do CEECI 2018, bem como que sejam reforçados os quadros das diversas UI&D, LA’s e LE.

#éparacumprir

Saudações Académicas e Sindicais,
A Direção do SNESup
29 de Abril de 2020

Share This