Colega,

perante a exclusão do Superior da vacinação prioritária, o SNESup lembra que está em vigor a greve que permite o direito de resistência e de salvaguarda da saúde, à qual pode aderir qualquer docente ou investigador que se encontre a trabalhar sem a garantia das condições de segurança ou higiene. É o caso da exclusão na prioridade da vacinação ou de futuras falhas na testagem.

Todos os docentes e investigadores das instituições públicas e privadas que regressem às atividades e aulas presenciais sem estarem vacinados ou testados podem, a qualquer momento, aderir à greve convocada pelo SNESup, caso entendam que correm risco de saúde.

São lamentáveis e errados os argumentos do ministro Manuel Heitor para a exclusão dos docentes e não docentes do Ensino Superior da prioridade de vacinação.

Há um risco real de contágio nas atividades presenciais. Prova disso são os surtos que se já se registaram em várias instituições. Há salas de aula com um elevado número de alunos – mais até que no Básico ou Secundário – e Portugal é um dos países da EU com a maior fatia de docentes envelhecidos (cerca de 63% dos docentes do Superior público e privado têm entre 40 e 60 anos e cerca de 15% mais de 60 anos). São muitas as situações que exigem uma grande proximidade entre docentes e alunos, como nas aulas laboratoriais, nas artes ou na saúde, entre outras.

É condenável um Governo que anuncia que vai incluir todos os professores no plano prioritário de vacinação, excluindo os docentes do Superior. Esta decisão não pode ficar sem resposta do setor.

O SNESup não deixa ainda de manifestar enorme preocupação com o plano de testagem nas instituições. O Governo decidiu passar uma responsabilidade que é sua para os reitores e para os presidentes de politécnicos, que já fizeram saber que vão ter enormes dificuldades financeiras e de falta de pessoal para porem em prática a testagem de todos os docentes, investigadores, pessoal não docente e alunos.

Exigimos mais respeito do Governo. O Superior não pode ficar para trás.

#éparacumprir

Saudações Académicas e Sindicais,
A Direção do SNESup
22 de março de 2021

Share This