Colegas,

Decorrem, durante esta semana, as matrículas em cursos de licenciatura  dos colocados na primeira fase do Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior. No concurso deste ano voltou a verificar-se um crescimento do número de candidatos, revelando  uma valorização da formação académica pelos jovens estudantes e pelas suas famílias que é de saudar.

Mas o crescimento do número de alunos que procura o Ensino Superior exige que os responsáveis das instituições de ensino superior e do MCTES identifiquem necessidades de recursos humanos, materiais e financeiros e que definam planos e medidas para que seja possível continuar a ensinar com qualidade um número crescente e também cada vez mais diverso de estudantes.

Não basta aumentar o número de vagas e o número de alunos sem garantir condições e recursos adequados para o trabalho dos professores de Ensino Superior.

Aos quase 50 mil colocados em licenciaturas no ensino superior público vão juntar-se, ainda, mais novos alunos, pois este concurso não é a única forma de acesso: cerca de 20% dos estudantes optam por frequentar o ensino superior privado que não está abrangido neste concurso e cerca de 40% acedem a mestrados, especializações, doutoramentos, cursos técnicos superiores profissionais (CteSP), seguindo outros processos de seleção.

O Governo não pode esquecer que a valorização da formação superior é uma excelente notícia num país em que a qualificação da população é ainda comparativamente baixa: a população entre 25 e 64 anos com Ensino Superior era em Portugal de cerca 20% face a cerca de 27% em média nos países da União Europeia no ano de 2019.

Por isso mesmo, o aumento da procura de Ensino Superior é uma oportunidade que não pode ser desperdiçada.

#juntossomosmaisfortes
#éparacumprir

Saudações Académicas e Sindicais,
A Direção do SNESup
30 de setembro de 2021

Share This