Urgente: Financiar a ciência

06/02/2022 | Comunicados, Destaque 1

Colega,

O financiamento da ciência em Portugal marcou, na sequência de uma petição do Movimento 8% e com propostas do PCP e do Livre, a agenda e a discussão da Assembleia da República no dia de ontem.

O SNESup considera fundamental e necessário o aumento do investimento na ciência – pilar indiscutível do desenvolvimento económico e social dos países – através de uma linha de ação desenhada para a resolução dos problemas que afetam este setor há várias décadas, em particular a precariedade laboral dos investigadores e a ausência de mecanismos efetivos e de progressão na carreira.

Importa estabilizar as equipas de investigadores e os seus vínculos contratuais, hoje maioritariamente contratados a prazo e com subsídios de manutenção mensal (as designadas bolsas de investigação para doutores e/ou bolsas de pós-doutoramento). É necessário rever os mecanismos de avaliação e progressão nas carreiras, de forma a que se tornem atrativas para os jovens e, ao mesmo tempo, que reconheçam a qualidade do trabalho desenvolvido por investigadores com largos anos de experiência na ciência. Os últimos anos têm demonstrado que a precariedade na ciência não é apenas uma consequência da falta de financiamento, é também um problema ideológico que urge combater.

Passaram dois meses desde a tomada de posse da nova equipa do Ministério da Ciência Tecnologia e Ensino Superior e continuamos sem conhecer a existência de um plano concreto de medidas que invertam a precariedade que grassa no setor.

Em dia de debate sobre a falta de financiamento na ciência, o SNESup marcou presença no Fórum TSF – dedicado ao tema – reforçando o impacto que o subfinanciamento estatal tem nas carreiras dos investigadores.

 

Saudações Académicas e Sindicais,
A Direção do SNESup

02 de junho se 2022

Share This