mmmmm

Contratos e Defesa Coletiva

A pressão do subfinanciamento tem motivado uma transferência de custos, que é suportada em trabalho não remunerado, subemprego, violações aos princípios da equidade e proporcionalidade na contratação dos convidados, congelamento das carreiras, entre várias formas de desvalorização profissional. Este é um problema coletivo que só se resolve com a consciencialização profissional de todos. Quando se propõe a um investigador lecionar sem remuneração, quando se ludibria a proporcionalidade da percentagem de contratação de um convidado, quando se fazem contratos a terminar a 15/7 e a recomeçar a 15/9 (estamos de acordo em generalizar isto a todos os colegas de carreira?); tudo isto resulta num prejuízo para a profissão, com uma passagem de custos para as pessoas que estão em situações mais frágeis. Cada um de nós, nas suas ações individuais é responsável também pelo que somos como coletivo. Quando é o próprio o primeiro a atentar contra a sua integridade profissional, dificilmente outrém conseguirá resgatá-la. É preciso saber dizer não à degradação.

SNESup envia à CNPD pedido de reunião

Para evitar a repetição de situações de kacking ou da gravação indevida de aulas, o SNESup considera ser importante que a CNPD produza e reforce recomendações específicas para o Ensino Superior, tendo em conta que as universidades e politécnicos tendem a invocar uma excepcionalidade face aos estabelecimentos do básico e secundário.

Reuniões com reitores e presidentes de politécnicos

Nas últimas semanas o SNESup tem vindo a reunir com reitores, presidentes de politécnicos e presidentes de escolas não integradas, a propósito das medidas de segurança e saúde e para analisar os efeitos das medidas de mitigação e contenção da pandemia Covid-19. A evolução da pandemia e a incerteza que ela coloca aliada a uma ambiguidade inicial, quer do MCTES quer da própria OCDE, coloca várias questões sobre o próximo ano letivo. Temos, no entanto, cada vez mais certezas sobre o que importa para o futuro. É inegável que o ensino presencial tem vantagens de proximidade e de modelo pedagógico, que são fundamentais de serem operacionalizadas.

SNESup reúne com dirigentes das IES

O SNESup começou esta semana uma ronda de reuniões com todos os dirigentes máximos (reitores e presidentes) das instituições de ensino superior. Estas reuniões procuram preparar as condições para o regresso às atividades presenciais, bem como a operacionalização da avaliação. É, por isso, fundamental que os colegas nos façam chegar os seus contributos e preocupações em relação a esta matéria. É a saúde e a segurança de todos que está em causa.

Regresso ao trabalho presencial em segurança

Trabalhar em condições de higiene e segurança é algo fundamental em qualquer profissão.
Os voluntarismos podem sair caros e convém não facilitar. Tenha em atenção as recomendações da Autoridade para as Condições de Trabalho.

Amanhã: Reunião Geral de Investigadores

Relembramos que decorre amanhã a Reunião Geral de Investigadores, organizada pelo SNESup, para assinalar o dia da Ciência. Esta será uma boa oportunidade para debater os vários assuntos que preocupam os investigadores e as dificuldades que o setor da Ciência atravessa. A reunião tem início às 14h30 e vai decorrer através da plataforma Zoom.