A sede de Coimbra encontra-se encerrada dia 2 de dezembro.

Convite | Apresentação de estudo sobre RJIES

A avaliação da aplicação do RJIES é um imperativo legal que está por se concretizar há dez anos e  que continua a ser sucessivamente adiada pelo governo. O SNESup pretende dar um ponto de partida para esta revisão através de um processo participativo e aberto a organizações e a cidadãos. Nesse sentido, contribui com um estudo  sistemático e aprofundado, com recurso a factos e informações, sobre as mudanças ocorridas nas instituições após a publicação do RJIES, bem como sobre as implicações destas mudanças. 
Assim, a direção do Sindicato Nacional do Ensino Superior tem o prazer de o/a convidar para a apresentação do estudo: “Regime Jurídico das Instituições de Ensino Superior (2007-2022) – Contributos para uma revisão fundamentada”, no dia 12 de dezembro, a partir das 14h30 na sede do Sindicato Nacional do Ensino Superior, em Lisboa. O evento realizar-se-á em formato híbrido, com transmissão online.

Unidos somos mais fortes

Na passada sexta-feira, 18 de novembro, avançámos com uma ação de greve com o objetivo de nos manifestarmos contra a deterioração das condições de trabalho dos docentes e investigadores, a instabilidade e precariedade de vínculos contratuais e os bloqueios nas oportunidades de progressão e promoção nas carreiras com que nos confrontamos há muitos anos.
O balanço desta ação foi muito positivo. A direção do SNESup agradece a participação de todos, o empenho, bem como a organização de atividades que ocorreram em várias IES para assinalar a nossa luta. De norte a sul e ilhas, foram muitos os colegas que nos contactaram para dar conta da adesão à greve e enviaram-nos imagens destas atividades que partilhamos na galeria de fotos do site do SNESup.

Greve a 18 de novembro

A direção do SNESup emitiu pré-aviso de greve para o dia 18 de novembro de 2022. Esta ação abrange todos os docentes e investigadores das universidades, institutos politécnicos, escolas superiores não integradas e institutos de investigação.
Com esta forma de luta estamos a mostrar, juntos, o nosso desagrado face à deterioração das condições de trabalho que nos afetam a todos. É essencial, nos dias de hoje, não pactuar com a inação do governo e da tutela na resolução dos problemas laborais que afetam docentes e investigadores. A instabilidade e precariedade de vínculos contratuais e os recorrentes bloqueios às oportunidades de progressão e promoção nas carreiras são tendências muito negativas. E também temos assistido à preocupante diminuição acentuada do poder de compra, desde há mais de 10 anos, e que está a ser particularmente agravada no atual contexto de aumento da inflação.

Porque devo aderir à greve!

Como comunicado na passada sexta-feira e noticiado nos órgãos de comunicação social, o SNESup emitiu um pré-aviso de greve para 18 de novembro. O pré-aviso permite que cada um e cada uma de nós possa protestar contra a deterioração das condições de trabalho que vem marcando os últimos anos. Reforçamos que todos os docentes e investigadores podem e devem fazer greve!
Com esta ação estamos a manifestar o nosso descontentamento e a reivindicar a resolução de problemas que se arrastam há mais de uma década. Entre esses problemas destacamos as perdas salariais e o bloqueio às progressões que são ainda mais acentuados nas nossas carreiras do que nas restantes carreiras da função pública. Os dados apontam que entre 2010-2019 as perdas acumuladas de ganhos médios anuais dos doutorados estejam na ordem dos 30% e esta tendência está a agravar-se significativamente no atual contexto inflacionista.

Apoio aos estudantes e à greve climática

A direção do SNESup repudia veementemente a intervenção policial que teve lugar na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa na passada sexta-feira e que conduziu à detenção de quatro estudantes que integram a Greve Climática. O direito ao protesto não pode ser cerceado e é inaceitável querer silenciar os estudantes em espaços da Universidade que também é a sua.
Manifestamos a nossa total solidariedade para com os estudantes envolvidos da Greve Climática, reconhecendo a relevância e importância indiscutíveis da luta em prol do futuro do planeta.

Dia Nacional da Cultura Científica

Hoje é Dia Nacional da Cultura Científica. Celebramos a ciência e o respetivo contributo para o desenvolvimento social e económico das nações e celebramos quem coloca o seu conhecimento ao serviço de todos e todas – os investigadores científicos.
A ciência e a expansão do conhecimento são, muitas vezes, apontadas como bandeiras políticas. Portugal tem mesmo um objetivo bem definido de que o investimento público em investigação e desenvolvimento (I&D) represente 3% do Produto Interno Bruto, mas é uma meta que tarda a realizar-se.